o livre uso dos elementos

o livre uso dos elementos - Nuno Henrique

Exposição temporária que ocorreu entre 10 de novembro 2016 e 28 de janeiro de 2017.

 

No âmbito do Plano Tangente um programa de exposições temporárias do Museu do Dinheiro que visou a divulgação da criação artística emergente, nas suas várias disciplinas. O programa contemplou a apresentação do trabalho de artistas portugueses contemporâneos, em diálogo com a arquitetura do museu e as suas coleções.

Neste corpo de trabalho alteraram-se elementos do espaço museológico e do nosso quotidiano numa prática que, seguindo um processo lúdico, devolve a esses mesmos elementos novos usos. 

O som do cair de uma moeda, o som de diferentes metais, quando invertidos, possibilitam outros usos para além do da sua acumulação. As propostas foram desenvolvidas para o contexto específico do museu assim como foi dada especial atenção à transformação dos livres usos da sua arquitetura.

Neste quadro foram apresentadas: a peça de som “Metal Invertido”, a instalação alea jacta Est e uma série de esculturas em vidro soprado intitulada “Elevações”, que ocupa uma antecâmera da antiga igreja de S. Julião. 

 

 

Assim como a brincadeira do faz-de-conta ou o jogar com os sentidos e os gestos habituais são liberdades ou atributos partilhados entre as crianças e os artistas, a Arte não tem qualquer ambição de operatividade sobre a realidade, que não a de quebrar com a função que lhe é atribuídapelo mundo e, com essa inoperatividade, abrir um espaço de liberdade, alternativo, inverso, e ainda colocar questões às quais se respondem através de hipóteses heurísticas.

São como que perguntas-grávidas, as colocadas pelos artistas. E nesta exposição há uma questão–potência que sobressai: como conceber um mundo descapitalizante?

Das peças com que Nuno Henrique pontuou alguns dos espaços no Museu do Dinheiro, emergiram hipóteses, configurações de pensamento: quando a acumulação, a extração e a parábola da riqueza for invertida ou abolida.

Maria do Mar Fazenda | 2016

 

Ficha técnica

Coordenação geral, produção executiva, montagem e iluminação de exposição 
Museu do Dinheiro - Departamento de Serviços de Apoio/Banco de Portugal

Arquitetura, projeto museográfico, gráfico e comunicação 
Departamento de Serviços de Apoio/Banco de Portugal

Estruturas e manutenção
Ambienti d'Interni
Departamento de Serviços de Apoio/Banco de Portugal

Tradução
José Roseira

Segurança
Departamento de Serviços de Apoio/Banco de Portugal

Informções

Exposição temporária que ocorreu entre 10 de novembro 2016 e 28 de janeiro de 2017
No âmbito do Plano Tangente um programa de exposições temporárias do Museu do Dinheiro que visou a divulgação da criação artística emergente, nas suas várias disciplinas. O programa contemplou a apresentação do trabalho de artistas portugueses contemporâneos, em diálogo com a arquitetura do museu e as suas coleções.

Durante o decorrer da exposição ocorreu uma visita orientada por Nuno Henrique e Maria do Mar Fazenda.

Mais informações para info@museudodinheiro.pt ou +351 213 213 240

 

Imagens: Nuno Henrique

Receba as novidades
do Museu do Dinheiro

Inscreva o seu email para receber novidades sobre as actividades e exposições do Museu do Dinheiro.

É obrigatória a indicação deste campo.

Obrigado.

Acabou de lhe ser enviado um e-mail para confirmar o seu registo e validar o seu endereço de e-mail.

Por favor, clique no link nesse e-mail para confirmar a sua inscrição.
Não foi possível subscrever o seu email. Por favor tente mais tarde.